sábado, 28 de setembro de 2013

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Pleasures.....Banquete de Luxuria



Sozinha....
......na paz da noite,

enchia o silêncio com o greatest motherfucker that I'll ever gonna meet

e o vazio com as imagens que passavam em série à frente dos meus olhos.


Aquelas imagens não me traziam apenas as formas e as cores dos corpos que me despertam a mente e me esventram a carne.Aquelas imagens traziam-me o cheiro da luxuria a invadir o ar, traziam-me o som de gemidos de prazer misturados com gargalhadas que compunham uma melodia envolvente e libertadora...viciante até.
Traziam-me o sabor de novas descobertas e involuntariamente....senti-me a liquidificar! Como quando se antecipa a degustação do nosso prato predileto e mesmo vendo um ingrediente novo...trincamos entusiasmados sem receio de não gostar.
Todas as minhas glândulas segregavam sucos que serviriam de tempero para o banquete de luxuria que se redesenhava na minha mente



Os elegantes e requintados personagens transformavam-se nas iguarias que se serviam sem pudor.
Indiferentes à ordem ou preceito, começava por se chupar os dedos impregnados da suposta sobremesa com um sorriso matreiro e desafiador para de seguida se lançarem ao prato principal.
Trinchavam-se corpos com as mãos determinados a desvendarem as mais preciosas iguarias das suas entranhas até se soltarem urros de prazer.
Lambiam-se os sucos que escorriam dos corpos, enterravam-se os dedos e os sexos em qualquer orifício lambuzado, usavam-se todos os utensílios disponíveis, sem qualquer ordem, apenas focados no prazer, inebriados pela liberdade de tudo poder fazer...insaciáveis apesar da abundância daquele banquete de luxuria que se lhes apresentava ao dispôr, ao alcance dos olhos, das mãos, das bocas, dos corpos...dos sexos que se misturavam e se uniam quase aleatoriamente na busca de experimentar novos sabores, novas sensações, novas combinações.
Não se comia apenas com os corpos, comia-se também com os olhos o prazer dos outros, definiam-se preferências, provava-se a inexistência de limites, saboreava-se a partilha.




Brindámos com um beijo antes de engolir o delicioso néctar que jorrava directamente da fonte para as bocas que se abriam sequiosas de o sorver, salpicando as caras que se lambiam na urgência de aproveitar até à última gota.
E o ar encheu-se de gargalhadas que se soltavam dos corpos despidos de pudor e lambuzados de gozo.






Abri os olhos e voltei a ver as imagens.
Chupei os dedos que tinha inundado de mim durante a viagem
e estranhei o sabor familiar.
A fome, crescia-me na mente e assolava-me o corpo.
Quero mais!

Do you understand the pleasure of a banquet of lust?


domingo, 22 de setembro de 2013

Pleasures......Pinceladas II

Pinceladas....
...que deixam marcas para além da pele.
Que se entranham e crescem,
e que me fazem crescer com elas.
Embelezam de forma única o inacabado quadro da vida.

Do you colour your life?

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Feelings.....Dona de mim

Hoje...
....de sorriso estampado no rosto,
sinto-me grande, forte,
orgulhosa das minhas escolhas e da liberdade que dou a mim própria
de ser dona de mim!

Reconheço e aceito as inevitabilidades da vida contra as quais não podemos lutar, mas lido com elas da forma que eu quero e não sigo para onde me querem levar.
Nunca pertencerei ao rebanho social que segue por caminhos definidos pelo pastor gigante que não se vê, mas que pretende marcar a sua omnipresença a cada encruzilhada.

Ontem, a vida empurrava-me para um dia marcado pela dor, para o enterrar de memórias vividas e onde gravar eternamente imagens do fim, seria o caminho esperado.
O rebanho chamava-me para uma celebração mórbida que, na verdade, nada tem para celebrar.  Aos meus olhos, é apenas uma celebração egoísta da própria dor e saudade antecipada, movida por obrigações sociais e camuflada de solidariedade pelo protagonista que já não sente, pelo que já não vê, por aquele cujo caminho terminou. O vazio deixado por aquele que já não está para ditar as ordens da sua vontade ao rebanho que o seguia permite que o omnipresente pastor guie o rebanho para o caminho banal da aceitação social, fazendo-o parecer inevitável e até obrigatório.
Mas não é! Pelo menos para mim...
Eu não temi ser a ovelha tresmalhada e decidi celebrar a vida! Imune a olhares de soslaio ou a críticas daqueles que vivem pelas leis que lhes são ditadas sem permitir a si próprios a liberdade de viver ou sequer de deixar viver.

Ensinada sem escolha a lidar com o fim, segui pelo caminho que escolhi confiante do meu direito de sentir à minha maneira e substituí lágrimas por sorrisos, lamurias de dor por gemidos de prazer, recordações por novas memórias, derrotas por vitórias, finais por inícios, morte por vida!
Eu sei que a minha escolha seria aprovada por quem realmente me importa, se essa análise lhe fosse permitida, porque foi isso que me ensinou, é assim que o sei e assim que o recordo: Cheio de Vida!

Uso e abuso do direito de escolher o meu caminho, de traçar o meu destino, de viver de acordo com as minhas leis e ser fiel àquilo que é realmente importante para mim.

Não acredito no destino....
...eu traço o meu caminho.
Sou dona de Mim!

Do you decide your fate? Or you let yourself be guided by it?



terça-feira, 17 de setembro de 2013

Just Thoughts......Nuvens de Fumo

Todas as vezes que a vida me deixou vazia
por ter entregue tudo em nuvens de fumo falsamente denso mas apenas repleto de nada,
não me retiraram a capacidade de dar...despojo-me toda se me sinto a voar.


O que se desvaneceu no ar foi a capacidade de receber.
Não me permito acreditar que esse fumo denso de que sinto a falta e que puxo sofregamente para dentro de mim em baforadas de prazer, esteja por uma vez repleto....de verdade.

Inebriada pelo prazer que o fumo me proporciona, retive a respiração na ânsia de o deter...mas sentia-me a asfixiar...tive que expirar!
Agora, vazia, questiono a certeza do cancro que sentia a crescer em mim...vislumbrava-o tão claramente!
Aperta-se-me o peito a cada travo que inspiro quando penso que talvez possa ter sido traída pelas manchas negras deixadas nos meus pulmões e injustamente tenha posto em causa a pureza do fumo que me preenchia.
Temo que ao expelir as nuvens que me sufocavam, possa ter soprado para longe esse fumo que me faz voar.
Mas não condeno a vida....
....somos o que vivemos e há manchas difíceis de apagar.

O que não nos mata...torna-nos mais fortes!
Talvez desta vez o fumo mate o cancro.

Do you have scars from bad smoke?
Full of...Black Smoke

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Feelings....Insaciável

Acordei.....
...abri os olhos e estavas lá, ao meu lado, 
a espreitar pela pequena janela que me vela o sono.

A tua pose descontraída a contrastar com a firmeza que te saltava das calças não me encheu apenas a vista, despertou-me o corpo todo! Não via apenas a tua imagem, com os instintos despertos e os olhos fechados trouxeste-me o teu cheiro, o toque das tuas mãos, o som da tua voz em palavras refletidas.
A mente atraiçoava-me o corpo....sentia-te sem te ter.
Toquei-me com as mãos a pensar nas tuas e deixei-me levar pela mente até àquele ponto em que já não é possível retroceder.
Sentia os mamilos erectos, o corpo a escorrer desejos... Inundei os dedos na gruta que vertia tesão pronta para te receber, mas não consegui enganá-la....quanto mais me tocava, mais desejava.
Debrucei-me sobre a cama em busca de auxilio, lancei a mão ao meu companheiro que repousa pacientemente à espera que o chame e fodi-me violentamente com ele à procura de saciar o insaciável.
Enchi-me, esventrei-me, enterrei-o em mim em movimentos violentos...furiosos até.
Sentia-me cheia mas ao mesmo tempo vazia.
O volume inerte da borracha não satisfazia o que o meu corpo pedia...faltava-me o calor da pele, o cheiro a homem.
Impelida pela insatisfação, segui implacável na chacina do meu corpo.
Empurrei furiosamente aquele volume contra mim enquanto o ecran aos meus pés captava as imagens do meu prazer incompleto.
Impiedosa, abafava os gemidos que me saltavam do ventre diretamente para a garganta e não parei até sentir o corpo a vibrar num espasmo e desfalecer na cama acariciada pelo toque suave dos meus lençóis de setim.

Fodi o corpo...
 ....mas o que eu queria era que me fodesses a Alma!

Will you fuck my body until you get my soul?

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Wishes......Eclodir

Puxas-me como um íman,
Entras nos meus sonhos sem pedir licença,
Absorves-me os pensamentos sem autorização,
Enches-me de desejos e sugas-me a razão que nunca tive.
Sinto-me um vulcão que repousava adormecido e que agora desperta com uma necessidade incontrolável de eclodir nesse teu mar sereno de experiências vividas.
A tua sensatez impele-me à acção, a tua racionalidade acorda-me para a loucura do inesperado, a tua descrença dá-me vontade te mostrar a força do fogo que arde dentro de mim.

Apetece-me entrar na tempestade provocada pela erupção de mim e surfar em ondas revoltas de prazer, de pé, sem medo de me erguer sozinha em cima da prancha. Confiante para me aventurar em ondas maiores pela certeza da tua presença nas águas revoltas por onde sigo, sem te agarrar, mesmo sem te ver, segura de mim só por saberes que estás lá...dono do mar, a observar-me, a seguir-me, a guiar-me...a proteger-me do perigo onde não receio mergulhar.
Completas-me, preenches-me, fazes-me sentir grande, forte.
Desejo que te abras para mim, que queiras que eu entre, que sintas que te pertenço, que saibas que a minha força vem de ti, que qualquer que seja a onda que eu drope és tu que me impulsionas.
Quero que me deixes fazer parte de ti porque eu, de mão dada contigo, mergulho de cabeça e de olhos fechados na maior onda do oceano. Não quero simplesmente flutuar...quero ir até às profundezas do mar!

Fazes-me faísca...quero explodir em ti e fazer abanar o teu mar! 
E tu, queres?

Will you let me blow in you?

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Feelings.....Refletida

De repente...
....encontrei o meu reflexo.
Na imensidão do universo, descobri-te!
Às vezes olhos e vejo o que fui,
outras vezes olhos e vejo que estás já no local par onde caminho,
porque nos desencontrámos no tempo e nas experiências vividas.

Frequentemente adivinhas-me os pensamentos,
ouço-te as palavras que me poderiam sair da boca 
tecidas com a destreza que te caracteriza e que eu não tenho,
mas pensas como eu e revejo-me sempre em ti.

Podemos procurar uma vida pelo nosso reflexo e não o encontrar,
por alguém com quem não precisamos de falar para saber que nos entende,
mas a mim....a vida ofereceu-me esse tesouro
e consciente da preciosidade do presente que se me apresenta
reservo-te um lugar privilegiado em mim 
durante todo o tempo que o queiras ocupar.

Obrigada por existires na minha vida!

Do you found the reflection of you?

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

domingo, 8 de setembro de 2013

Just Things....Saber A-Mar

Hoje....

......a disfrutar do último dia de férias
 e a  impregnar-me deste delicioso sabor.
Amanhã....
....queria também Saber A-Mar.

Can you feel the taste?

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Pleasures......Sementes

 Imaginava-os de longe.....
...sabia-os juntos.
Recordava-lhes os cheiros,os toques da pele, cada recanto daqueles corpos que tantas vezes desejo tocar....
Sabia que se partilhavam, que se entregavam, que o prazer inundava o ar...
Saciavam-se desejos e plantavam-se sementes de prazeres maiores. Criavam-se cumplicidades e descobriam-se pormenores.
Teciam-se laços, reconheciam-se corpos num momento que também eu senti.
Ardia-me um fogo por dentro ao imaginá-los, mas não queria lá estar!  Vivi o prazer do meu lugar.

Até que me levaram para lá! E vi-vos de longe.
Senti o meu corpo a vibrar em sensações, um calor a tocar-me a pele, os instintos a despertarem todos.
Olhei as tuas mãos delicadas e cuidadas e toquei-me a pensar nelas até me deter no cerne de onde o meu corpo me chamava.
Ver o teu clit descarado a sorrir para mim e aquele pau firme e apetitoso, que conheço tão bem o sabor, a enterrar-se em ti.....fizeram-me escorrer!
Sentia-me confortável no meu lugar, excitava-me pelo vosso prazer...ao ver-vos e imaginar-vos a gemer.
Fodi-me sozinha com os vossos corpos na mente e mostrei-vos isso.
O meu prazer era o vosso prazer....a crescer em mim, como uma semente a brotar da terra.

Do you feel pleasure in the pleasure of others?