terça-feira, 31 de dezembro de 2013

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Just Lights.....Desconhecido

A força dos meus sonhos é tão forte,
Que de tudo renasce a exaltação.
E nunca as minhas mãos ficam vazias.

Sophia de Mello Breyner Andresen


Do you embrace the unknown?

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Just Things....Atirar-me ao Rio

Hoje....
...vou Atirar-me ao Rio!

Jesus K & sicksicksicks
Mery Christ-mess


Because Christmas .....it's over!

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Just Me......Peça

Sou uma peça...
...com várias faces irregulares,
 apenas iguais a mim mesma, 
que não se tocam mas que me completam e que fazem de mim o que sou. 

De uma das minhas faces,
nasceram duas peças que me alicerçam e cujo elo que nos une é inquebrável.
Nas outras faces vou juntando peças que me fazem evoluir e crescer. 

Mas a vida não é um puzzle
em que se reparte um todo e apenas se tem que encontrar a peça certa.
A vida é um encaixe de peças imperfeitas, que se moldam à procura do equilíbrio. 

A maioria deixa tantos espaços vazios que acabam por cair e deixar-se esquecer ao ser substituídas por outras. Algumas têm arestas vincadas e se insisto em encaixá-las a fricção é tão forte que causa danos irreversíveis nessa face e apodrece-a, tornando-a estéril e incapaz de se voltar a unir e crescer.


Ocasionalmente, surge uma peça que encaixa em mim de forma invulgar.
Roça-me e excita-me...faz-me querer tê-la. 
Penetra-me e enche-me...faz-me acreditar que sou maior. 

É uma verdadeira explosão de fertilidade. 
Quero mais, quero sempre mais! Quero tudo! 
Com aquela peça unida a mim, o tudo parece pouco...

Complico a construção...
...os sucos de prazer que se misturam transformam-se numa poção mágica 
que puxa outras peças como um iman, 
e que faz nascer rebentos que se alimentam de nós. 

Permito-me sonhar...mas os sonhos são perigosos.
E cresço...
 ...incho insuflada por sonhos palpáveis
a preencher os espaços vazios que parecem não existir entre as peças. 

Cresço tanto que sufoco a peça que me confere a energia.
Estrangulo-a cega pela beleza do céu que vejo no horizonte e que acredito poder alcançar.

Sinto as punhaladas da realidade a quebrar a união das peças..
...inevitáveis, mas ainda assim tão dolorosas.

Os rebentos que cresceram e se transformaram em ramos...
....definham a tentar sobreviver sem a seiva que os alimentava.
Não podem viver por si só com a mesma forma...fazem parte naquela união!

Alguns libertam-se e procuram a vida noutras construções.... 
....mas há os que permanecem fieis,
mutilados e desidratados, 
à espera de um alimento que nem sabem se vão querer voltar a receber,
mas ficam, colados!

Há peças que custam a desencaixar.
Há peças que eu não quero largar!

Did you ever find a piece that makes you feel bigger?

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Just Things....Brilho

Hoje....
....porque apesar de não acreditar no motivo,
adoro sentir o ar a enche-se de ternura e partilha.
Ofereço o meu brilho!

Hoje não brilho para mim. 
Hoje brilho para vocês!

Importante é que hajam sempre motivos para nos fazer sentir coisas boas!
The Legendary Tigerman
F*CK Christmas ....I got the blues!

I hope you always feel a Star light shining in your lives. 

Boas festas!


quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Just Things....Borboletas

É bom quando elas aparecem...
....seja qual for a razão.


Nouvelle Vague
In a Manner of Speaking
(original by Tuxedomoon)


quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Feelings.... from my Baby Love

- Eu sabia que tu ias gostar! Quando eu gosto, tu também gostas sempre. 
Nós somos iguais mamã!
Sem lhe dirigir o olhar e quase irrefletidamente respondi:
- Não filha, eu espero que tu sejas muito melhor que eu.
Prontamente ouvi:
- Ohhh mãe, isso é impossível!
E virou-me costas.

Ela vai onde quiser! Já hoje é muito melhor que eu.

Quando enfrenta os muitos males que infelizmente foi tendo na vida, sempre com um sorriso estampado no rosto e sem uma única queixa...
...ensina-me que somos nós que definimos o tamanho da nossa dor.

Quando recebe qualquer contrariedade sem nunca reclamar...
...ensina-me que a revolta é azeda e corrói desnecessariamente o peito.

Quando me responde ser hesitar a qualquer questão, convicta das suas certezas até quando inventa palavras que lhe soam bem para colmatar inevitáveis lacunas de conhecimento...
...ensina-me como o medo de errar é redutor da evolução.

E quando me envolve na sua imensa ternura, mostra-me que doçura não é sinónimo de fraqueza...
...porque ela é tão forte apesar do aspecto frágil.

Mas o que ela me ensinou há exactamente sete anos, a esta hora, quando saiu de mim como um coelho, a mostrar desde o início a sua pressa de viver...
...foi que o amor não se divide para caber no coração.
O Amor multiplica-se e o coração cresce para o albergar,
mesmo quando ele é tanto que parece que o peito vai rebentar.

Quando for grande, eu é que quero ser como tu!

And you, when you grow up you want to be like who?

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Pleasures....Festas

Há imagens....
 ...que falam por si só.

Do you have a silly smile on your face?
I have :D

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Just Things....Corre

Corre! Que que está quase a começar....
Mexo-me sem parar...atravesso o mundo, mas luto para chegar onde quero.



WoodKid - Run
from Golden Age


"...
Run boy run! The sun will be guiding you
Run boy run! They’re dying to stop you
Run boy run! This race is a prophecy
Run boy run! Break out from society

Tomorrow is another day
And you won’t have to hide away
You’ll be a man, boy!
But for now it’s time to run, it’s time to run!
..."

Just Things....Cala-te!

Não...eu não me calo!
Mesmo falando para cegos.

Hoje começam as festas e eu....começo por mexer!

Savages - Shut Up!
from Silence Yourself

"...
Too many to convince
Too many to hire
And nothing you ever own
The world's a dead sorry hole
And I'm cold, and I'm cold
And I'm cold, and I'm stubborn
I'm sick to keep it open wide
And speaking words to the blind

Speaking words, to the blind
Speaking words
....
And if you tell me to shut up
And if you tell me to shut it
Did you tell me to shut up
Oh if you tell me to shut it
I'll shut it now
..."

Just Things...Não importa para ele

Não importa para ele, mas importa para mim.
E eu vou mexer-me...até a festa acabar!

John Grant - It Doesn't Matter To Him
from Pale Green Ghosts


"If I think about it, I am successful as it were
I get to sing for lovely people all over this lovely world
And I am nowhere near as awkward as I was when I was younger
I guess I'm one of those guys who gets better looking as they age
And even though I have been beaten down by constant doubt,
The pressure and confusion brought about by people's actions, death, and tax forms
I keep getting up and I am loved by all my friends and family
Though there have been lots of raised eyebrows
Hints and glances lately

It doesn't matter to him
I could be anything
But I could never win his heart again
It doesn't matter to him
He took away my AAA pass
I am invisible to him

And now I feel the soft, pink flesh of my heart hardening
To the countless possibilities contained within each day
Vulnerability feels like a cold, wet concrete room lit with fluorescent light
Which, as you know, makes everything look bad
I still keep trying to figure out how I became irrelevant
How I got myself evicted from his heart from one day to the next
And the worst part is that even if I got an answer right now
It would not change anything because we have become two strangers

It doesn't matter to him
I could be anything
But I could never win his heart again
It doesn't matter to him
He took away my AAA pass
I am invisible to him"

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Pleasures....Canal

É uma sensação indescritível!
Sinto-me um canal por onde o prazer passa sem que o retenha. Ofereço-o na mesma medida que o recebo. 
Entra em mim a cada estocada, percorre-me e saí-me pela boca numa fome insaciável que me tolda o cérebro e me domina o corpo. 
Toda eu vibro com o prazer que recebo dele por trás, mas não quero para mim. Liberto cada gemido mudo no corpo que sugo à minha frente e ouço-os saltar da garganta dela a multiplicar o meu prazer. 
Sinto-me o elo de uma corrente que se une num círculo pelos olhares cúmplices que sei que se tocam sem que eu os veja.
Não sou o centro, sou o canal que transporta o prazer entre as extremidades.


I fuckin' miss this!

Feelings.....Desarrumada

Esqueci-me dela...
...desinteressei-me, deixei-a esquecida,
vejo-a sem a ver....vejo-me sem me ver.

Deixei as teias de aranha crescer nos cantos, o cotão acumular-se nas reentrâncias, o cheiro a mofo a refletir-se na imagem do espelho que teimo em não querer ver.
Pinto a fachada exterior com pinceladas de cal, tal como se tapa com base as olheiras que denunciam as fraquezas do corpo. 
Ponho o som a tocar, mas as colunas estão direccionadas para fora...cá dentro reina o silêncio.
Não há visitas há muito tempo. Não as espero nem lhes abriria a porta se aparecessem. 
Acomodo-me no desalinho protegida pelo conforto da rotina.
Sinto-me sugada....pelas responsabilidades, pelo peso que carrego e pelos rebentos que me envolvem em ternura e me mostram o sentido. Movo-me por eles, para eles.
Falta-me a vontade de me mover por mim. Faço por afogar o fogo que faz soprar o vendaval, que faz com as horas se tornem maiores, que os dias cresçam, que as distâncias se encurtem e que as coisas aconteçam.

Mas as visitas estão quase a chegar. Mentalizo-me que tenho que me preparar para as receber, mas ainda não me levantei. Ansiei tanto por elas e agora....quase desejo que não venham apenas porque sei que depois de saírem ficará o vazio...e terei que arrumar a casa.

"Shadows settle on the place, that you left.
Our minds are troubled by the emptiness.
Destroy the middle, it's a waste of time.
From the perfect start to the finish line.
...
And if you're still bleeding, you're the lucky ones.
'Cause most of our feelings, they are dead and they are gone.
We're setting fire to our insides for fun.
Collecting pictures from the flood that wrecked our home, 
It was a flood that wrecked this... 
...
Well I've lost it all, I'm just a silouhette, 
A lifeless face that you'll soon forget, 
...."
Listening Daughter - Youth

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Just Things.....Fugir

Eu não vou fugir....
...vou só ali encher-me de música e já volto.

The National
Runaway from Hight Violet

"Theres no saving anything
Now we're swallowing the shine of the summer
...
Throw your arms in the air tonight 
We don't bleed when we don't fight 
Go ahead, go ahead 
Lose our shirts in the fire tonight 

What makes you think I'm enjoying being led to the flood? 

We got another thing coming undone 
But I won't be no runaway
Cause i wont run
..."

Just Things......Eu preciso da minha miúda

Todos precisamos de algo....

......eu também.

The National
I Need my Girl from Trouble Will Find Me

"...
I can't get my head around it 
I keep feeling smaller and smaller 

I need my girl 
I keep feeling smaller and smaller 
..."

Just Things....Não engulas a tampa

Hoje.....
....eu é que me vou encontrar com os problemas, e não eles a mim.

E vou sugá-los, bebe-los e engoli-los todos....menos a tampa.



The National
Don't Swallow the Cap from Trouble Will Find Me



"...
I can't get the balance right
Throw my marbles in the fight
I see all the ones I wept for
All the things I had it in for
I won't cry until I hear
Cause I was not supposed to be here

Everything I love is on the table
Everything I love is out to sea
...
And if you want, too seriously
To see me cry
Don't swallow the cap
Play "Let It Be"
Pat yourself on the back
Or "Nevermind"
Too seriously

There's a time to leave, there's a time to think about
...
When they ask what do I see
I see a bright white beautiful heaven hangin' over me
..."

Just Things.....Demónios

Cada um lida com os seus....

...eu enfrento os meus e hoje, vou vê-los.

The National
Demons from Trouble Will Find Me



"When I think of you in the city
The sight of you among the sites
I get this sudden sinking feeling
Of a man about to fly
Never kept me up before
Now I’ve been awake for days
I can’t fight it anymore
I’m going through an
Awkward phase.
...
The more I see the pythons and the limbs
Do not know what’s wrong with me
Sours in the cup
When I walk into a room, I do not light it up
Fuck

I stay down
With my demons
...

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Just Thoughts....Construções

Desmoronou-se a construção pela força do vendaval...
...as peças que se encaixavam coesas a almejar grandes conquistas, 
caem por terra em desalinho.

Olham em volta, desorientadas, a aperceberem-se lentamente da realidade e olham à procura de reencontrar o seu lugar, separadas do elo que as unia e que lhes incutia a força, que as fazia acreditar poder crescer e atingir picos inimagináveis.
Vou precisar de arrumar o espaço, encontrar lugar para as peças e reconstruir, mas ainda não sou capaz de o fazer.
Carrego uma culpa que não sinto pertercer-me, como se eu pudesse ser capaz de controlar a força do vento....
Mas há sempre uma perspectiva positiva de encarar as situações, e eu vejo laços que fortalecem e que me fazem sentir bem, reorganizo prioridades e foco-me.
Foco-me no que restou da construção que se erguia assente num alicerce que caiu.
O que era apenas um braço transformou-se no pilar, o que seria um momento passou a ser um tudo, aquilo que seria o início adivinha-se um fim....mas centro-me nele, merecemos vivê-lo em pleno.
Arregaçámos as mangas para o pôr de pé, sobreviveu ao vendaval e vou continuar a trabalhar nele para que se eleve até ao mais alto possível...quero vivê-lo como se não houvesse amanhã!

Depois...logo penso como vou arrumar as peças.

Do you build your life following your desires?

domingo, 17 de novembro de 2013

Just Thoughts.....o Tempo

Mais uma vez...
...a vida prova-me que o tempo nunca corre a nosso favor. 
O tempo corre sempre contra nós.
O que levamos da vida é o que vivemos, o que vivemos hoje, a cada dia que passa.
O que deixamos para amanhã, sem pressa de viver, é sempre incerto e normalmente nunca chega a acontecer.

As lágrimas que se engolem...
...transformam-se em pedras que nos sufocam e jamais escorrem.
Os gritos que se abafam...
...transformam-se em raios que nos corroem e jamais se soltam.
Os impulsos que se dominam...
...transformam-se em frustrações que nos matam.
Os gemidos que não se sentem...
...transformam-se em sonhos, 
E os sonhos...
....os ilusórios e inatingíveis, aqueles que não se vivem, 
tornam-nos fracos e frágeis, 
fechados numa redoma que nos afasta cada vez mais da vida. 

Por isso sigo os meus impulsos e sigo atrás do meus sonhos.
Vivo a vida com pressa de viver, 
às vezes a gritar de raiva e outras a gemer de prazer.
Soltam-se lágrimas de dor e outras de alegria....mas vivo!
E quando não o faço, erro.
As lágrimas que matam são as que não escorrem, por aquilo que deixámos de fazer.

Porque o tempo...esse corre sempre contra nós e nunca a nosso favor.

Do you follow your dreams?

sábado, 16 de novembro de 2013

Feelings.....Castigada

Há plateias onde não consigo ficar sentada, impávida a assistir ao espectáculo.

Há peças que me tocam de tal forma que tenho que me levantar, furar a multidão e entrar em cena, mesmo não havendo lugar para mim no palco.
Sou incapaz de me resignar a observar e assistir a uma faixa que segue eufórica e desafinada, ou a uma história com a qual não concordo.
Surfo por cima da multidão, subo ao palco e faço por alterar o guião, roubo o microfone, introduzo acordes que não estavam previstos na esperança de alterar o final.
Não premedito, sigo o coração...fiel a mim própria!
Sigo sem medo mesmo sabendo que a intromissão no palco provavelmente me irá levar a ser expulsa da sala e que vou perder a possibilidade de viver o final do concerto.
Mas não me importo. Nunca serei uma espectadora passiva perante um espectáculo que me aperta o coração.
É que esse aperto no peito, que surge à margem da vontade, é o que define a diferença entre os espectáculos que realmente nos marcam a vida.
Gostaria de ser recebida com um sorriso e pertencer ao espectáculo.
Mas sinto que este espectáculo continuará a encantar a plateia sem mim....castigada cá fora pela intenção pretensiosa de fazer parte de uma banda cujo vocalista não admite partilhar o palco, apenas quer fãs na plateia.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Pleasures.....Abraço lambuzado

Daquela vez,
não me perdi no espasmo de um orgasmo...
...perdi-me no aconchego de um abraço.
Naquele dia... o corpo dela não pulsava a energia habitual. Não lhe sentia aquela força de se superar, sentia-a fraca. 
Naquele dia... não me apeteceu esmifrar-lhe o corpo, explorar-lhe as entranhas, testar-lhe dos limites no calor do tesão como habitualmente.
Naquele dia... apetecia-me mimá-la, lambe-la com carinho, afagar-lhe a pele, centrar nela as minhas atenções e inundá-la de ternura.

Fodemos sem a fúria dos outros dias. Não cheirava a tesão, cheirava ao carinho que cultivámos com a cumplicidade e os toques saiam doces e não desenfreados pela urgência da descoberta.

E no final, quando o bebemos juntas, selámos aquela união com um beijo, com as bocas impregnadas do mesmo sabor. Enquanto o víamos afastar, enrolámos as pernas num abraço, as mãos a vaguear sem premeditação teciam caricias ternas e os rostos lambuzados colados um ao outro a uniam-nos o sorriso cúmplice. 
Olhámo-nos, e apreciámos a beleza de nos vermos despenteadas e com as caras besuntadas do mel que adoramos beber...lindas! 
E eu vi claramente que há muito mais que nos liga para além do corpo.

Do you understand the beauty of a slathered hug?

sábado, 2 de novembro de 2013

Just Things.....Simple Pleasures

Há reencontros inevitáveis de tão irresistíveis.
Porque nos tocam, porque nos fazem sentir, porque nos dão vida.

Eu não lhes resisto, e hoje...vou lá, mais uma vez!

Não procuro fugir, 
não os pendo no meu caminho, 
não finjo, 
simplesmente....sinto-os comigo.
Há presenças tão presentes que fazem parte de mim!
Há 21 anos comigo....e vão acompanhar-me para sempre.

Tindersticks
If you're looking for a way out
from Simples Pleasures - reedited in Across Six Leaps Years

"...
If you're looking for a way out
I won't stand in your way
...
Oh come on stop pretending
Tell me what's in your heart 
..."

Do I meet you there?

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Just Things....Os Potros

Tarde, esta noite....
....vou cavalgar com os Potros no coliseu
sob o Fogo Sagrado.

The Foals - Holy Fire
Late Night
Fantástico video!

"Oh, I hoped that you were somebody,
Someone I could count
To pull me to my feet again,
When I was in doubt.
...
And I know you ran away. 
Oh I know but I'm feeling okay. 
But now I found love and the feeling wont go. 
Now I found love but the feeling wont go! 
See you walk away! 
Feeling okay, now! 
Happy now? 

 Stay with me
..."

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Pleasures.....O sabor do sexo

Não resisto....
...a lambuzar-me em dois corpos que de fodem!

Vê-los assim, a fundirem-se num só, a desaparecerem um no outro à frente dos meus olhos....provoca-me um impulso no corpo e esgueiro-me automaticamente de modo a que fiquem ao alcance da minha boca. Posiciono-me de forma a que, sem incomodar, o vai-vai deslize sobre a minha língua.
Gosto do som dos gemidos ao fundo
Gosto do cheiro, do sabor do sexo a lambuzar-me a cara
Gosto de sentir a língua a alternar entre os dois corpos, 
do deslizar entre os períneos unidos como se fossem um só, 
inundados dos sucos da foda que se soltam directamente para a minha boca...
....para meu deleite.
Demoro-me no rabo do que está mais parado, mudo para o outro ao sabor dos movimentos,
mas quando posso deambular alternadamente entre os dois corpos...deliro!
É mais forte do que eu!
Não preciso de me tocar...escorro tesão!
Faço parte com tanto prazer como se me fodessem.

E naquele dia....tive direito a brinde
 e vi sair aquele pau que eu adoro 
a verter o seu mel para a minha boca aberta de espanto e satisfação. 
Deliciada ao antecipar o prazer de o beber.

Gosto de o partilhar, mas daquela vez..
.....aquele leite foi só meu

Do you like the taste of sex?

domingo, 27 de outubro de 2013

Just Things......Lou Reed

Chegou a hora de ser ele a dar uma volta...
...pelo "outro" lado selvagem.
Mas deixa tanto, mas tanto por cá!

Thank you for all you gave us

Have a nice trip!

Just Thoughts.....Ver

Olho em redor....
...para ver onde estou, para onde vou e para onde quero ir.

Vejo para além do que me é dado a ver.
Vejo o que me escapa na urgência de viver.
Na verdade.....vejo o que não quero ver.

Contorço-me inquieta à medida que o alcance da minha visão se alarga.
Percorro o caminho retrospectivo das minhas acções e vejo que as minhas mãos que se fecham não agarram o que quero ter, apenas reduzem o espaço onde posso guardar o que tenho.
Vejo que meti dedos em fendas que se abriam mas onde não era suposto entrar.
Sinto o incómodo dos golpes que resultam da luta que se trava entre a parte de mim que quer continuar a sonhar e a outra parte, aquela que vê claramente a realidade e interpreta os sinais.

Mas eu hoje não quero ver! 
Quero uma venda de confiança, 
daquelas que nos dão certezas que não precisam de ser explicadas.

Do you see through the sale?

sábado, 26 de outubro de 2013

Just Things........Bonecos

Hoje.....

...vou beber cervejas com estes bonecos.

Toy Dools - B.E.E.R

Do I meet you there?

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Wishes.....A Festa

Erguemos os copos para um brinde ao Prazer.
Pintamos por igual as bocas de negro e o calor que nos escorre pelo corpo faz transbordar os corpos que fervilham em antecipação.
A festa vai começar!

Não espero para ver, desembaraço-me das roupas que ainda me cobrem mas na verdade... estou nua desde que entrei naquela porta. Despida de pudores ou limites, sou um corpo sedento de sensações comandado pelo desejo.
Deslumbrada pelo cheiro a liberdade que paira no ar, provo o sabor do tesão que vejo claramente a soltar-se da pele dos que estão à minha volta. Provoco os inibidos, desafio os acanhados, acendo focos de fogo aqui e ali com o meu corpo em brasa até me deixar arder numa qualquer fogueira do caminho.
Entrego-me ao prazer. Sem premeditações, sem imposições nem restrições. Não há ordem a seguir, vim para sentir tudo o que houver para sentir.
Lentamente, as pequenas fogueiras que ardem aqui e ali, unem-se por línguas que procuram onde se afogar, por mãos que se inundam em grutas incandescentes...até o incêndio se tornar incontrolável e alastrar por todos os cantos transformando-se num só.
Saciam-se desejos, afogam-se vontades, transformam-se fantasias em realidades.
Sentem-se sabores misturados, combinações improváveis, mastros viris que esventram corpos disponíveis, fendas que se abrem além dos seus próprios limites.
Até se verem corpos a tombarem doridos e inundados de gozo enquanto outros já ressuscitam ....para continuar a festa.

Do you dare to join in a party of Pleasure?

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Wishes.....Tudo

Quero Tudo!

Não quero o fácil, o óbvio ou o evidente...
...quero Tudo!

Não quero limites, preconceitos ou imposições...
...quero Tudo!

Quero o irracional, quero o extraordinário,
quero o que ultrapassa a razoabilidade ou o imaginável,
quero extrapolar sensações e quebrar barreiras.

Quero pôr à prova os meus limites que não vejo,
quero superar-me...ir além de mim.

Quero Tudo...nada menos que Tudo! 

Do you have limits for pleasure?

domingo, 20 de outubro de 2013

Pleasures....Lutas

Gosto de lutas...
...em que se joga com tudo

e ambos saem a ganhar!

Do you like a good fight of Pleasure?

sábado, 19 de outubro de 2013

Just Thoughts....A Concha

Nos dias em que a chuva é tanta que tolda a visão...
...resguardo-me na Concha.
Às vezes tento abrir a concha para deixar alguém entrar...
....mas não é certo puxar alguém para onde não há espaço
e aconchego-me melhor sozinha.
E se tento sair e seguir em frente sem parar...
....sigo desorientada, sem rumo,
 e quando termina a chuva, encontro-me molhada, fria, 
e vejo que não avancei nada, 
apenas andei para trás e aumentei a distância que me separa do destino.

O melhor mesmo é ficar fechada na Concha
a observar em silêncio a tempestade
 à espera que o Sol brilhe e me deixe ver o caminho.

Do you protect yourself in the shell ?

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Pleasures....Dupla Degustação

Estava ali....
...mesmo inerte, era tentador e apetitoso e o que sentia era uma enorme vontade de o despertar com a boca, enquanto lhe ouvia as palavras com que ia enchendo o tempo.
Com a conivência do olhar dela, fui lá, deliciar-me.
Coloquei-o todo na boca ainda mole, como eu gosto, mas depressa o espaço se tornou pequeno para o abocanhar.
Crescia aos meus toques de língua e olhava-o nos olhos....Ele, com aquele sorriso matreiro , acariciava o corpo perfeito ao seu lado, a despertar-me a mim os desejos.
Demorei-me por lá...a explorar cada recanto.
Lambê-lo...deliciava-me.
Chupá-lo... molhava-me
Senti-lo....excitava-me.
Olha-la....encantava-me.
Até que ela veio juntar-se a mim. Cada uma ocupou o seu lugar sem precisar de falar ou sequer de olhar. 
As línguas a rodar coordenadas amplificavam sensações e deixavam ver claramente a magia da cumplicidade adquirida. 
Os dedos moviam-se pelo espaço livre com toques suaves, sem se chocarem. 
As bocas deambulavam em sintonia a misturar sabores em beijos sôfregos.
Empenhadas naquela degustação sublime, deixávamos que as mãos ganhassem espaço na exploração dos corpos a abrir caminho para mais....para essa gula insaciável de nos comermos todos.
Confundia-se e fundia-se o prazer de Dar e o prazer de Receber e vivia-se o prazer de Partilhar claramente espelhado nos nossos corpos de mulher cada vez mais molhados e no de homem cada vez mais excitado.

Adoro chupar um pau a duas línguas,
e aquele pau...
....parece ter sido feito para as nossas duas bocas!

Do you like to share the pleasure of licking?






quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Pleasures....A Luz

Um dia...vi uma luz no meio da multidão.
Começou por ser um brilho ao longe, mas por alguma razão...não mais consegui desviar o olhar.
Decidi aproximar-me e a vida empurrou-me, mas eu estava determinada a alcançar aquela luz...e segui no seu enlace.
Cheguei-lhe, toquei-lhe e deixei-me envolver por ela. Trouxe com ela outra luz que me reflete e engrandece.
Não a agarro, muito menos a prendo mas sinto-a presente, sei que me completa.
Esta luz, confere uma cor diferente ao brilho da Estrela.
Não quero depender dela para brilhar, pois o meu verdadeiro brilho vem de mim própria e sei que a luz seguirá o seu caminho no mundo. Mas entrego-me, deliciada, com um sorriso rasgado, a admirar a beleza desta nesta nova cor que emana de mim...enquanto ela durar.

Há presenças que se sentem para além da pele.

Do you follow the light?

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Feelings.......Insatisfeita

Acordei sozinha na minha cama vazia....
...num dia em que o Sol não quis espreitar
e num local onde não queria estar.
À minha volta uma paz inquietante e um silêncio desconfortável a contrastar com o turbilhão de imagens que me enchia a mente e com o som de prazer alucinante que ecoava surdo nos meus ouvidos.
O meu corpo nu não queria ser acariciado pelo toque suave dos meus lençóis de cetim. Queria o toque áspero de uma pele quente, o hálito podre de um acordar, o peso morto de um corpo adormecido ao meu lado....para eu despertar.
Mas não estava lá! Era apenas eu...e eu.
Voltei a fechar os olhos e viajei nas imagens que me tinham sido trazidas pelos sonhos.
Corpos sem rosto exploravam-se sem pudores, mastros afundavam-se em grutas humedecidas por línguas soltas, seios desapareciam dentro de bocas lambuzadas de gozo, gemidos de prazer coloriam o ar, membros fundiam-se sem nexo movidos por sensações,....tal como os meus dedos se enterravam em mim na fúria de sentir as imagens que via na escuridão.

And you, are you satisfied?

domingo, 13 de outubro de 2013

Just Things.....Vida em Marte?

Dizem que não há duas sem três....
...mas ainda não é desta que chego à terceira.

Hoje há Vida em Marte na Arena...mas eu, não vou ver. 

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Pleasures..... Alternância

Oferecemo-nos.....
...disponíveis, predispostas, prontas pelo desejo dispensando preparações.


Eu queria assim!
Preencheu-me viril, poderoso, sem toques ou olhares. Entrou em mim de uma só vez e bombeou-me com a pujança de uma fera.
Saiu de mim sem aviso, tal como entrou. Arrancou-me uma inspiração profunda ao sair de mim.
O desconsolo causado pelo subito vazio do corpo foi imediatamente preenchido pelo prazer que se refletia ao meu lado.
Olhava-a para além da pele. Lia-lhe nos olhos o prazer, reconhecia-lhe os gemidos pelos meus, percebia-lhe cada suspiro, conhecia o tamanho que a enchia, o que cada estocada lhe provocava...exactamente o mesmo que há momentos sentia em mim.
Via-a tanto que lhe sentia as sensações.
Até lhe ouvir o inspirar profundo a acompanhar o vazio subito e...alternar.
Agora, eu sentia as sensações que há pouco via, preenchida por aquele corpo que me desarma.
Olhava de soslaio o reflexo dele no espelho à minha frente. Queria vê-lo com os olhos postos no corpo que o esperava ao meu lado.
Decompunha-me em gemidos de gozo arrancados por aquele esventrar desenfreado, balançava o meu corpo contra o dele com todas as minhas forças na ansia de extrair o maior prazer possível durante o curto espaço de tempo que me era dedicado...e eu queria que fosse curto!
Queria que ele ficasse, mas também queria que ele saísse...por isso sugava-o e empurrava-o.
E trocavamos..uma e outra vez... misturavam-se gozos nos corpos. Alternava entre o prazer de sentir e o prazer de ver...dividida entre a posse e a partilha.

Mas na verdade, ganha sempre a partilha, porque ao dar também estou a receber.

Do you feel pleasure in sharing?

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Just me....Picos

Hoje.....
.....quero apenas falar de mim.
Quando me embrenho numa subida difícil rumo a um cume que, por alguma razão às vezes inexplicável, me faz desejar alcançá-lo sinto-me forte, imparável. Montes pequenos, que se atinjam com um passo, desinteressam-me e passam-me ao lado.

Habituada a seguir sozinha na frente, a definir rotas e a escolher percursos, não me pesam os que me seguem ou até aqueles que transporto agarrados a mim.
São muito poucas as mãos em que confio quando se estendem para me ajudar a subir e se alguém me lança uma corda onde me agarrar analizo-a cuidadosamente à procura do sítio onde, eventualmente, lhe possam ter infligido um golpe que a faria quebrar-se com o meu peso e dificilmente a uso. Suspeito de ventos favoráveis ou de calços que surgem em locais demasiado perfeitos... Prefiro seguir pelos meus meios, pois ainda que isso torne a subida mais dura também tornará a vitória mais pura.

Desoriento-me quando me surgem pequenas dificuldades vindas de várias frentes, como melgas que me picam ou formigas que me sobem pelas pernas e que facilmente esmagaria com um dedo...mas que me fazem esbracejar sem direcção. Disperso a minha atenção e tenho dificuldade em focar-me. 
Nessas alturas paro, sento-me, olho em volta, identifico o que me incomoda, defino prioridades, delineio estratégias e só depois me levanto para seguir em frente.

Mas os grandes obstáculos não me demovem, pelo contrário, impulsionam-me, fazem-me emergir forças que desconheço e que às vezes até me surpreendem. Contornar esses obstáculos é sempre a minha segunda opção. Tento sempre ultrapassá-los de frente, de cabeça erguida...mesmo que me rasguem as mãos e me esfolem os joelhos. Não temo a dor e não paro para lamber feridas. Sigo orgulhosa das cicatrizes que fazem de mim o que sou.

Quando finalmente atinjo o pico, o cume que me deslumbra...imediatamente olho em redor à procura de outro ainda mais alto para trepar. Às vezes preciso de ver esse outro objetivo a atingir mesmo antes de conquistar o primeiro, porque se não houver nada mais além que me deslumbre, eu sei que ao chegar ao topo as minhas forças se desvanecem e me lanço para o vazio em queda livre onde repouso à espera de outro cume que me desperte.
Não sei subir devagarinho nem ficar calmamente a apreciar a conquista.
É sempre ou tudo ou nada, ou no topo ou fundo....

Às vezes orgulho-me de ser assim, 
outras nem tanto, 
mas procuro entender-me, aceitar-me...
...e viver em paz comigo.

That's me, do you get me?

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Feelings......Unida

Naquele dia, quando me deste a mão....
....não entrelaçámos apenas os dedos,
fortaleceram-se os laços que nos unem as Almas.
Ao primeiro toque de pele fizeste-me estremecer o corpo e precisei de uns instantes para assimilar a sensação que me percorria. Respondi-te sem te olhar, com um sorriso que se me rasgou nos meus lábios e um aperto firme nos teus dedos delicados. Mas eu sei que sentiste as palavras que não disse e o sinal de aprovação de deixei passar pelos dedos.
Seguimos unidas, com as cabeças orgulhosamente erguidas e passo confiante, poderosas, lindas, a desfilar por entre a multidão...seguras do que somos e do caminho que queremos seguir.
Senti o meu peito a inchar de orgulho!
Como se a vida me tivesse oferecido de presente a outra parte de mim que eu nem sequer sabia que existia, a que me completa as lacunas, a que me compensa as fraquezas....senti-me grande, enorme!
Unidas e transformadas numa, somos imparáveis. Não há limites inatingíveis, nem barreiras intransponíveis para além da nossa vontade. Podemos tudo, somos o que quisermos, vamos onde tivermos vontade...o Mundo é nosso!
Apertei a tua mão com mais força para me certificar que eras real, que realmente existes e que nos encontrámos e guardei essa certeza no peito para poder olhar para ela sempre que me apetecer. 
É que às vezes, quando não estás ao alcance dos meus olhos e a minha pele não toca a tua...pareces-me um sonho demasiado bom para ser verdade.

Há gestos simples que dizem mais do que mil palavras.

Do you ever found the other piece of you?

sábado, 28 de setembro de 2013

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Pleasures.....Banquete de Luxuria



Sozinha....
......na paz da noite,

enchia o silêncio com o greatest motherfucker that I'll ever gonna meet

e o vazio com as imagens que passavam em série à frente dos meus olhos.


Aquelas imagens não me traziam apenas as formas e as cores dos corpos que me despertam a mente e me esventram a carne.Aquelas imagens traziam-me o cheiro da luxuria a invadir o ar, traziam-me o som de gemidos de prazer misturados com gargalhadas que compunham uma melodia envolvente e libertadora...viciante até.
Traziam-me o sabor de novas descobertas e involuntariamente....senti-me a liquidificar! Como quando se antecipa a degustação do nosso prato predileto e mesmo vendo um ingrediente novo...trincamos entusiasmados sem receio de não gostar.
Todas as minhas glândulas segregavam sucos que serviriam de tempero para o banquete de luxuria que se redesenhava na minha mente



Os elegantes e requintados personagens transformavam-se nas iguarias que se serviam sem pudor.
Indiferentes à ordem ou preceito, começava por se chupar os dedos impregnados da suposta sobremesa com um sorriso matreiro e desafiador para de seguida se lançarem ao prato principal.
Trinchavam-se corpos com as mãos determinados a desvendarem as mais preciosas iguarias das suas entranhas até se soltarem urros de prazer.
Lambiam-se os sucos que escorriam dos corpos, enterravam-se os dedos e os sexos em qualquer orifício lambuzado, usavam-se todos os utensílios disponíveis, sem qualquer ordem, apenas focados no prazer, inebriados pela liberdade de tudo poder fazer...insaciáveis apesar da abundância daquele banquete de luxuria que se lhes apresentava ao dispôr, ao alcance dos olhos, das mãos, das bocas, dos corpos...dos sexos que se misturavam e se uniam quase aleatoriamente na busca de experimentar novos sabores, novas sensações, novas combinações.
Não se comia apenas com os corpos, comia-se também com os olhos o prazer dos outros, definiam-se preferências, provava-se a inexistência de limites, saboreava-se a partilha.




Brindámos com um beijo antes de engolir o delicioso néctar que jorrava directamente da fonte para as bocas que se abriam sequiosas de o sorver, salpicando as caras que se lambiam na urgência de aproveitar até à última gota.
E o ar encheu-se de gargalhadas que se soltavam dos corpos despidos de pudor e lambuzados de gozo.






Abri os olhos e voltei a ver as imagens.
Chupei os dedos que tinha inundado de mim durante a viagem
e estranhei o sabor familiar.
A fome, crescia-me na mente e assolava-me o corpo.
Quero mais!

Do you understand the pleasure of a banquet of lust?


domingo, 22 de setembro de 2013

Pleasures......Pinceladas II

Pinceladas....
...que deixam marcas para além da pele.
Que se entranham e crescem,
e que me fazem crescer com elas.
Embelezam de forma única o inacabado quadro da vida.

Do you colour your life?

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Feelings.....Dona de mim

Hoje...
....de sorriso estampado no rosto,
sinto-me grande, forte,
orgulhosa das minhas escolhas e da liberdade que dou a mim própria
de ser dona de mim!

Reconheço e aceito as inevitabilidades da vida contra as quais não podemos lutar, mas lido com elas da forma que eu quero e não sigo para onde me querem levar.
Nunca pertencerei ao rebanho social que segue por caminhos definidos pelo pastor gigante que não se vê, mas que pretende marcar a sua omnipresença a cada encruzilhada.

Ontem, a vida empurrava-me para um dia marcado pela dor, para o enterrar de memórias vividas e onde gravar eternamente imagens do fim, seria o caminho esperado.
O rebanho chamava-me para uma celebração mórbida que, na verdade, nada tem para celebrar.  Aos meus olhos, é apenas uma celebração egoísta da própria dor e saudade antecipada, movida por obrigações sociais e camuflada de solidariedade pelo protagonista que já não sente, pelo que já não vê, por aquele cujo caminho terminou. O vazio deixado por aquele que já não está para ditar as ordens da sua vontade ao rebanho que o seguia permite que o omnipresente pastor guie o rebanho para o caminho banal da aceitação social, fazendo-o parecer inevitável e até obrigatório.
Mas não é! Pelo menos para mim...
Eu não temi ser a ovelha tresmalhada e decidi celebrar a vida! Imune a olhares de soslaio ou a críticas daqueles que vivem pelas leis que lhes são ditadas sem permitir a si próprios a liberdade de viver ou sequer de deixar viver.

Ensinada sem escolha a lidar com o fim, segui pelo caminho que escolhi confiante do meu direito de sentir à minha maneira e substituí lágrimas por sorrisos, lamurias de dor por gemidos de prazer, recordações por novas memórias, derrotas por vitórias, finais por inícios, morte por vida!
Eu sei que a minha escolha seria aprovada por quem realmente me importa, se essa análise lhe fosse permitida, porque foi isso que me ensinou, é assim que o sei e assim que o recordo: Cheio de Vida!

Uso e abuso do direito de escolher o meu caminho, de traçar o meu destino, de viver de acordo com as minhas leis e ser fiel àquilo que é realmente importante para mim.

Não acredito no destino....
...eu traço o meu caminho.
Sou dona de Mim!

Do you decide your fate? Or you let yourself be guided by it?